2017

   

Violência Policial

 

Defensa dos Direitos Humanos

 


Desde 2006 o Observatório das Violências Policiais-SP foi integrado ao Centro de Estudos de História da América Latina (CEHAL- PUC-SP), vinculado ao Programa de Estudos de Pós-graduação em História da PUCSP. Desde 2017 somos o Observatório das Violências Policiais e dos Direitos Humanos.
 

 

E-mail: viol.obs@ovp-sp.org

 
 

Pesquisar neste sítio

 


Sitio Premiado - Selo Direitos Nota 10 - DHnet



 


Baixe para ler em pdf


 


Policiais atiram em jovem e Favela do Moinho protesta no centro de SP
27.06.2017

Sérgio Silva, Ponte

Moradores da Favela do Moinho, na região central da cidade de São Paulo, protestaram hoje em ruas próximas e nos trilhos da linha 8-Diamante dos trens da CPTM, depois que policiais militares balearam ao jovem Leandro de Souza Santos, de 19 anos na comunidade.

 leia mais



Mais uma agressão contra servidores municipais em Curitiba, para aprovar o “Pacotaço”
26.06.2017

Franciele Petry Schramm, Brasil de Fato

Bombas de gás, spray de pimenta, balas de borracha, cavalaria, e as tropas de choque da PM, contra 7 mil manifestantes. O teatro Ópera de Arame que foi palco do conflito e desta violência, foi usado para a votação e aprovação do "pacotaço" de quatro projetos de lei de ajuste fiscal do município, apresentados pelo prefeito Rafael Greca.

 leia mais



Em Curitiba, violência policial no ato contra o ajuste fiscal
21.06.2017

René Ruschel, CartaCapital


Servidor atingido pela represão. Foto: Chico Camargo / CMC

 leia mais



“Perdi a vista no protesto", conta vítima de repressão, durante audiência na Câmara
21.06.2017 

Rafael Tatemoto, Brasil de Fato

“Eu perdi a vista esquerda na manifestação. O policial mirou e atirou. Sou pai de família, com dois filhos para criar”. O relato é de Clementino Pereira. Ele participava da manifestação ocorrida em Brasília no dia 24 de maio, e foi uma das vítimas da repressão policial ocorrida no dia.

 leia mais



Governo de SP mantém banco de dados secreto sobre manifestantes
19.06.2017

Fausto Salvadori, Ponte

Você pode ser da Marcha para Jesus ou da Parada LGBT. Coxinha, petralha, Fora Temer ou Tchau Querida. Não importa. Se resolver participar de uma manifestação no Estado de São Paulo, a Diretriz PM3-001/02/11, conhecida como Diretriz Olho de Águia autoriza aos policiais militares a gravar imagens e áudios seus e armazená-los todos num banco de dados secreto ao qual você nunca terá acesso.

 leia mais



"Na Maré, muitos que estão morrendo nada têm a ver com o crime" Entrevista a Eliana Silva
17.06.2017

Caroline Oliveira, CartaCapital

Segundo pesquisa realizada por Eliana Sousa Silva, diretora da Redes da Maré, para 70% da população da Maré, a presença das Forças Armadas não aumentou a sensação de segurança na região. Pelo contrário: mais de 40% relataram sofrer agressões verbais e quase 60% se sentiram inseguros durante as abordagens. Os moradores são vistos pelas forças de segurança como inimigos do poder público.

 leia mais



Policiais ameaçam famílias de posseiros em Cujubim, Rondônia
14.06.2017

CPT

Algumas camponesas relatam que quando foram tentar retirar umas motos apreendidas em uma reintegração de posse, policiais teriam ligado para fazendeiros, que foram até o quartel para fotografá-las. Na Delegacia, os policiais falaram, conforme as mulheres, que não era para entrarem novamente nas "Áreas do Galo Velho", e, se caso isso acontecesse, todos morreriam. Depois, um policial sem farda teria falado: “Vocês não voltem lá, caso contrário acontecerá igual ao Pará”. Policiais de Cujubim já foram presos no ano passado acusados de integrarem um grupo que assassinou dois sem terra, aparecendo o corpo de um deles carbonizado. Dois fazendeiros também foram presos, assim como pistoleiros. Um dos acusados permanece foragido, o sargento da reserva Moisés.

 leia mais



Megaoperação policial, vendida como um sucesso, acaba revelando esquema de propinas entre PMs e criminosos
11.06.2017

Maria Martín, El País

O desabafo de um narcotraficante após sua prisão tem ajudado a esclarecer alguns detalhes de um esquema de propinas entre policiais militares de Rio de Janeiro e as facções criminosas do Estado. O capítulo fundamental deste enredo aconteceu na madrugada de 2 de maio, quando um grupo de 100 homens do Comando Vermelho (CV) armados com fuzis entrou na favela da Cidade Alta, na zona norte do Rio, disposto a retomar a comunidade das mãos de uma facção rival, o Terceiro Comando Puro. A possibilidade de que os policiais estariam se vendendo às duas facções foi reforçada com o recente esclarecimento do assassinato da líder comunitária Glória Maria dos Santos Mica em uma cilada do cabo Carlos José Costa Júnior.

 leia mais



"Parece guerra, mas só um lado está armado", diz ferida por bomba da polícia
07.06.2017

José Eduardo Bernardes, Brasil de Fato

Déborah Fabri, da Universidade Federal do ABC, relata o que enfrentou após perder parte da visão em protesto.

 leia mais   assista à entrevista



Autos de resistência como forma jurídica da política de extermínio de pessoas
05.06.2017

Henrique Oliveira, Justificando

A chacina em Pau D’arco se insere em mais um caso de violência no campo brasileiro contra camponeses em torno da disputa por terra. E um fato que chama a atenção nesse caso, é como mais uma vez vemos os autos de resistência sendo questionados, onde os policiais alegam que mataram pessoas em legítima defesa. Os autos de resistência, um instrumento que foi criado pela Ditadura Militar em 1969, para justificar os assassinatos de opositores, que a policia dizia ter matado numa situação de resistência armada à prisão.

 leia mais



Massacre no Pará
29.05.2017

Avener Prado e Fabiano Maisonnave, TV Folha



 veia mais



Massacre no Pará: polícia chegou em fazenda para matar, dizem testemunhas
26.05.2017

Carlos Madeiro, UOL notícias

Familiares de vítimas da ação policial que terminou com dez mortes de trabalhadores rurais, na Fazenda Lúcia, em Pau D'Arco, sudeste do Pará, afirmam que a polícia chegou atirando e, em nenhum momento teria informado sobre o cumprimento de mandado judicial.

 leia mais



Cenário de guerra: Polícia Militar ataca manifestantes do "Ocupa Brasília"
24.05.2017

Brasil de Fato

A Polícia Militar (PM) reprimiu com violência o ato do Ocupa Brasília na tarde deste 24 de maio. Os oficiais tentaram dispersar mais de 150 mil manifestantes que marchavam em direção ao Congresso Nacional, regeitando os projetos de lei contra os dereitos dos trabalhadores, pedindo a saída do presidente Michel Temer e eleições diretas. Policiais usaram bombas de gas e cavalaria para dispersar aos manifestantes; os organizadores denunciam uso de arma letal. O presidente Temer decidiu colocar o Exército nas ruas.

 leia mais



Delegados envolvidos em chacinas condenadas internacionalmente foram promovidos e premiados
17.05.2017

Helena Borges The Intercept

A Corte Interamericana de Direitos Humanos decidiu que o Brasil deverá adotar — além de inúmeras medidas de indenização específicas às famílias de vítimas e a sobreviventes das operações que resultaram nas duas chacinas. Mais de cem policiais envolvidos nas chacinas, na favela Nova Brasília de Rio de Janeiro. agiam sob as ordens de seus comandantes, que em vez de serem demitidos, como pediu à época uma sindicância interna da Polícia Civil, foram alçados a titulares de delegacias em 2011.

 leia mais



”Estou com vergonha do meu rosto”, diz sem-teto de 14 anos ferida por PM
01.05.2017

Carolina Linhares, Follha de São Paulo

O 1º de maio, em Mário Campos, região metropolitana de Belo Horizonte, Nathaly Gabriela da Silva, de 14 anos, foi atingida na boca por um tiro de borracha da PM, quando participava em uma ocupação. Perdeu 6 dentes e levou 8 pontos que ficaram marcados.

 leia mais



Sindicalistas e OAB denunciam violência policial em protesto no Rio
28.04.2017

Agência Brasil

Os sindicalistas disseram que a PM jogou bombas no palco, enquanto pessoas discursavam. Os manifestantes se reagruparam na praça Cinelândia para participar do ato central da greve geral do 28 de abril em Rio. Aí falavam parlamentares e líderes dos movimentos sociais, mas os policiais jogaram bombas novamente e as pessoas se dispersaram. Quando os manifestantes tentaram retorna, os policiais os cercaram e voltaram a jogar bombas de gás e usar spray de pimenta.

 leia mais



Estudante agredido por um PM em Goiânia apresentou múltiplas fraturas e traumatismo cranioencefálico
28.04.2017 

O Popular

Mateus Ferreira da Silva, estudante de Ciências Sociais da Universidade Federal de Goiás, quando participava na manifestação de apoio a greve geral do 28 de abril em Goiânia, foi agredido por um PM que bateu nele causando traumatismo cranioencefálico e varias fraturas. Uma foto registrou o momento exato em que o estudante foi atingido na cabeça por cassetete.

 leia mais


Ver arquivo de notícias
 

 

 


No Dia em Apoio às Vítimas de Tortura, secretária diz que prática ainda persiste
26.06.2017

Cristina Índio do Brasil, EBC, Agência Brasil

A secretária especial de Direitos Humanos, Flávia Piovesan, disse que, embora a Constituição de 1988 proíba a tortura e o Brasil tenha ratificado convenções da Organização das Nações Unidas (ONU) que condenam esse tipo de crime, a prática ainda persiste no país.

 leia mais



Coletivos unidos em jornada de combate a tortura
26.06.2017

Jornalistas Livres

Os movimentos e organizações sociais e populares, coletivos e grupos autônomos, ativistas culturais e artistas engajados, segmentos dos mais diversos, pessoas comprometidas com a defesa dos direitos humanos, preocupados com a prática sistemática da tortura e da violência praticada por agentes do Estado, exigiram um basta de tortura no Dia Internacional de Combate à Tortura.

 leia mais



"A gente vem sendo hostilizado pela GCM e PM", denuncia assistente social
22.06.2017

Maria Teresa Cruz, Ponte;
Caio Castor e Pedro Ribeiro Nogueira, Agência Pavio

Durante ato em solidariedade à orientadora socioeducativa detida, assistentes sociais e de saúde que atuam na Cracolândia falaram em queda de braço com agentes da segurança. Agentes da saúde e assistentes sociais realizaram um ato na região da Luz para repudiar a prisão da colega e contra a atabalhoada reestruturação dos serviços na região e pelo direito ao cuidado e ao trabalho”.

 leia mais



"Matar era política de Estado na ditadura", diz advogado e ex-preso político
22.06.2017 

Fania Rodrigues, Brasil de Fato

Aton Fon e outros oito militantes políticos escreveram "A Repressão Militar-Policial no Brasil, o livro chamado João", sobre a violência do Estado, um livro lançado no Rio.

 leia mais



Encarceramento em massa: a infinita arte de enxugar gelo
21.06.2017

Thais Lemos Duarte, Justificando

A diretriz central da política prisional nacional tem se pautado pelo encarceramento em massa. Depois da morte de numerosas pessoas presas em efrentamentos entre as facções, Diante de todo esse cenário, torna-se fundamental realizar um debate mais qualificado em torno das facções criminais e do processo de superencarceramento desenvolvido no Brasil.

 leia mais



Assistente social é detida por policiais ao questionar ação na Cracolândia
21.06.2017

Maria Teresa Cruz, Ponte

Uma orientadora socio-educativa que teria observado os PMs quando faziam a abordagem para revistar a mochila de duas adolescentes dependentes químicas, foi algemada, levantada su a blusa e empurrada a uma viatura pelos policiais, que deram voz de prisão por desacato. Identificada como Estela Braga Melo, a profissional presta serviço para a prefeitura de São Paulo na Praça Pincesa Isabel, atuando na abordagem de pessoas em situação de rua, usuárias de drogas. O Conselho Regional do Serviço Social de São Paulo divulgou nota de repúdio e denunciou “violência desmedida” na região por parte da polícia; os profissionais farão ato em resistência ao ocorrido.

 leia mais



Após ser vítima de racismo, estudante abandona curso de Direito no Mackenzie Rio
20.06.2017 

Norma Odara, Brasil de Fato

Uma das colegas da estudante de direito Alba Cristina da Silva Conceição, que cursava o segundo semestre, no Instituto Presbiteriano Mackenzie, no Rio de Janeiro (RJ), se referiu a ela como "macaca" e a suas filhas como "macacas pretas e faveladas que pus pra fora". Alba afirmou ao Brasil de Fato que foi até a universidade para falar com a coordenação, mas que eles trataram a situação de maneira “rasa e superficial”.

 leia mais



E o exército americano chegará à Amazônia?
19.06.2017 

Raúl Zibechi, Outras Palavras

Pela primeira vez na história, tropas dos Estados Unidos participam de um exercício militar no coração da Amazônia. Trata-se do AmazonLog, que acontecerá entre 6 e 13 de novembro no município brasileiro de Tabatinga, na tríplice fronteira entre Peru, Brasil e Colômbia.

 leia mais



Guerra, violência e perseguição elevam deslocamentos forçados a um nível sem precedentes
19.06.2017

ACNUR

Em todo o mundo, o deslocamento forçado causado por guerras, violência e perseguições atingiu em 2016 o número mais alto já registrado, segundo relatório "Tendências Globais" divulgado hoje pela Agência da ONU para Refugiados.

 leia mais



Caminhos da Ditadura mapeia pontos-chave da repressão e da resistência em Porto Alegre
19.06.2017 

Gregório Mascarenhas Sul 21

Há, em Porto Alegre, outros pontos da cidade que foram utilizados como centros de repressão e, hoje, permanecem desconhecidos por quem passa pelos locais. Para divulgar a existência desses lugares, um grupo de estudantes do curso de graduação em História da UFRGS criou um mapa da capital, sobre a plataforma do Google Maps, no qual se pode ler sobre pontos da repressão, e da resistência à Ditadura Militar.

 leia mais



Trabalhadores e povos do campo sob ataque
12.06.2017 

Marina dos Santos, MST

Trabalhadores e povos do campo vêm sofrendo ataques de todos os lados, não somente recebendo nas costas a conta da crise capitalista através das mudanças de legislações e medidas de cortes promovidas pela coalisão golpista, mas sendo novamente alvos de ameaças, agressões e assassinatos. Nos últimos meses tem aumentado a frequência com que chegam relatos chocantes dos rincões deste país, com cenas de brutalidade e violência para com trabalhadores rurais, povos indígenas, comunidades quilombolas e demais populações do campo.

 leia mais



Júlio Lancellotti refuta ação na nova Cracolândia
11.06.2017

Rede Brasil Atual

O padre Júlio Lancellotti, da Pastoral do Povo de Rua, criticou a ação realizada este 11 de junho pelo prefeito de São Paulo, João Doria, e o governador do estado, Geraldo Alckmin, na Praça Princesa Isabel, a "nova Cracolândia", centro de São Paulo. "Alguém acredita que isso vai resolver alguma coisa?! Violência contra os irmãos na Praça Princesa Isabel". Ao publicar uma foto dos policiais em ação, ele lamentou a forma como foi realizada a operação.

 leia mais

 assista aos videos de:
(1) Caio Castor 2'46"   
(2) City News 10'04"



Direitos dos povos indígenas e direito ambiental sob ataque no Brasil, alertam relatores da ONU e CIDH
08.06.2017 

Direitos Humanos na ONU

Três relatores especiais das Nações Unidas e um relator da Comissão Inter Americana de Direitos Humanos se uniram para denunciar que os direitos dos povos indígenas e o direito ambiental estão sob ataque no Brasil. Nos últimos 15 anos, o Brasil tem assistido ao maior numero de assassinatos de ativistas ambientais e da terra em todo o mundo, chegando a uma média de uma morte por semana. Os povos indígenas estão especialmente ameaçados. A pesar da situação, um relatório da CPI recentemente adotado por uma Comissão Parlamentar chega ao extremo de encorajar ao governo brasileiro a abandonar a Convenção 169 da OIT, desmontando qualquer avanço obtido até agora.

 leia mais



Violência no Brasil tem cor, idade e mira nos mais pobres
05.06.2017 

Marcos Aurélio Ruy, CTB

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgou no dia 5 de junho o relatório Atlas da Violência 2017, feito em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Os números são aterradores e confirmam o genocídio negro, principalmente da juventude e das mulheres. Os dados mostram que a cada 100 pessoas assassinadas no Brasil, 71 são negras.

 leia mais



Feridos e hospitalizados chegam a 22 depois de ataque a indígenas Gamela no Maranhão
06.05.2017 

CIMI

Apuração realizada durante esta semana revelou que o número de feridos entre o povo Gamela, atacado no último dia 30 em uma área retomada no Povoado das Baías, município de Viana (MA), chega a 22, cinco deles baleados e Aldenir de Jesus Robeiro e José Ribamar Mendes com mãos amputadas, mas reconstituídas no hospital, de acordo com posicionamento médico oficial.

 leia mais



Relatório da CPI da Funai criminaliza luta pelos direitos indígenas
03.05.2017 

Alceu Luís Castilho

Relatório da CPI da Funai criminaliza 35 líderes indígenas, antropólogos, procuradores, Cimi, CTI e ex-ministro. A CPI foi presidida pelo deputado Alceu Moreira (PMDB-RS), célebre por defender a resistência armada conta indígenas. O relator foi Nilson Leitão (PSDB-MT), atual presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária. O subrelator para a Funai é outro líder da bancada ruralista, dono de terras em Rondônia, Valdir Colattto (PMDB-RS). Foi evidente o propósito de criminalizar o Conselho Indigenista Missionario (Cimi), organização ligada à igreja católica conhecida por defender as etnias.

 leia mais


Os nove corpos das vítimas da chacina no MT têm sinais de tortura
24.04.2017

IHU

Os corpos dos nove trabalhadores rurais assassinados na área de Taquaruçu do Norte, a mais de 350 km da zona urbana de Colniza, município a 1.065 km de Cuiabá, apresentam sinais de tortura, segundo os técnicos da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) que realizaram os exames de necropsia, no sábado 22 de abril.

 leia mais


Ver arquivo de notícias


 


leia
MERLINO PRESENTE!
Caderno de
Combate pela Memória


MERLINO PRESENTE!
site

 


Rua Monte Alegre 984 - Perdizes -  Prédio Novo - 4º andar - Bloco A - Sala 4E08 - CEP 05014-901 - São Paulo - SP