EXECUÇÕES SUMÁRIAS

Dois homens morrem misteriosamente a caminho do Pronto Socorro, em São Bernardo (Grande São Paulo), após serem feridos à bala por policiais militares em uma tentativa de assalto

Voltar
 

 Data: 27 de outubro de 2005
Local:
Bairro Nova Petrópolis, São Bernardo (Grande São Paulo)
Vítima: Eduardo Amaral da Cruz, 17 anos, e um rapaz não identificado
Agente do Estado: policiais militares não identificados

Relato do caso: Esta é a história da execução sumária de dois rapazes que tentaram assaltar uma residência. Aconteceu na noite do dia 27 de outubro de 2005, no Bairro de Nova Petrópolis, em São Bernardo (Grande São Paulo), por volta das 19hs. Estando em casa o chefe da família, seu filho adolescente e um amigo, foram todos surpreendidos no momento em que chegava a esposa, uma comerciante, e o filho menor, pois ambos tinham sido rendidos pelos dois rapazes que tentavam o assalto. No relato do dono da casa, eles estavam muito nervosos e pareciam drogados, ameaçando a família o tempo inteiro. Os rapazes trancaram toda a família e o amigo dento de um banheiro, não sem antes pegarem relógios e dinheiro.  Mas um vizinho percebeu a movimentação e chamou a polícia.

Os dois rapazes que tentavam o assalto ouviram o barulho do carro da polícia chegando e quiseram fugir pelo quintal da casa ao lado. Ouviram-se muitos tiros e depois silêncio. Na versão dos policiais os dois rapazes se esconderam na casa vizinha mas foram encontrados. Sempre segundo essa versão os dois rapazes, cada um escondido em um quarto separado e portanto sozinhos, mesmo vendo a polícia ali em peso, reagiram e  dispararam diversas vezes. Só então, diante desses muitos tiros, sempre segundo a versão policial, eles reagiram.

Situação da investigação: Nada foi apurado sobre o caráter desse tiroteio e nem o fato de que, apenas os dois rapazes foram feridos mortalmente, enquanto todos os policiais, como sempre, salvaram-se ilesos. Na versão oficial os feridos foram levados pela própria Polícia Militar ao Pronto Socorro Central de S. Bernardo, mas embora tenham saído do local ainda vivos, chegaram lá mortos, como sempre acontece nestas histórias. Um dos rapazes tinha tatuagens por braços, pernas e mão e uma carteira de identidade em nome de Eduardo Amaral da Cruz, de 17 anos. O outro, também tatuado, não portava documentos. Com eles, ainda na versão policial, foram encontrados os relógios das vítimas, R$ 81 e dois revólveres calibre 38 com a numeração raspada. O caso foi registrado no 1º Distrito Policial de São Bernardo. Naturalmente registrado como tentativa de assalto. Nada indica que serão apuradas as condições em os dois rapazes morreram, em um tiroteio em que só uma parte atira, e tendo saído vivos para o Pronto Socorro, lá chegando mortos.

Fonte: Diário do Grande ABC, 30/10/2005