Entrevistas

Voltar

[Revista do Instituto Humanitas Unisinos – IHU – On-line] Paulo Arantes - "A violência institucional ilegal é exercida hoje como uma política sistêmica. Governos não fazem mais a diferença" - entrevista especial concedida à Revista do Instituto Humanitas Unisinos - IHU - On-line (17 de dezembro de 2007)
http://www.unisinos.br/ihuonline/index.php?option=com_tema_capa&Itemid=23&task=detalhe&id=891&id_
edicao=276
Leia mais
 
[A Nova Democracia] Maurício Campos - "A violência que a burguesia gosta" - entrevista ao membro do Comitê de Comunicação da Rede de Comunidades e Movimentos Contra a Violência, realizada por Marcelo Salles.
Nessa entrevista concedida com exclusividade ao AND, ele analisa o fenômeno da violência policial no Rio de Janeiro à luz do imperialismo ianque e mostra que a opressão contra as massas, incluindo as chacinas como a da Candelária, de Vigário Geral e, recentemente, a do Alemão, seguem a orientação do USA.
(A Nova Democracia, nº36, agosto de 2007)
http://www.anovademocracia.com.br/36/06.htm
Leia mais
 
[Caros Amigos] Orlando Zaccone - "Olhar novo sobre crime e criminosos" - entrevista ao delegado carioca do 52º DP do Estado do Rio de Janeiro, Nova Iguaçu, realizada por Marcelo Salles, publicada em Caros Amigos, nº 124, de julho de 2007. Mestre em Direito Penal e Criminologia, o delegado conta, nesta entrevista, como tem conseguido bons resultados ao tratar com dignidade os presos da sua delegacia.
(Caros Amigos, nº124, julho de 2007)
Leia mais (1ª Parte)
Leia mais (2ª Parte)
Leia mais (3ª Parte)
 
[Reporter Brasil] - Rafael Gonçalves de Paula - "Juiz defende que pequenos furtos não devem levar à prisão" - Entrevista ao magistrado no Tocantins que soltou dois homens acusados de furtar uma melancia cada um, reafirma a sua postura e defende que ela já é difundida em instâncias superiores, realizada por Beatriz Camargo
(Reporter Brasil, 26/02/2007)
http://www.reporterbrasil.org.br/box.php?id_box=215

Leia mais
 
[Socialismo Revolucionário] - Angela Almeida - "Onda de ataques fruto da brutalidade neoliberal no país" - O que está por trás dos ataques do PCC? Hoje fala-se do PCC como “crime organizado”, quase como se fossem sinônimos, mas não se pode esquecer que essa facção nasceu como uma resposta aos maus-tratos e às torturas sofridas no sistema penitenciário de São Paulo. Em 1993, na Casa de Custódia de Taubaté, chamada de “Piranhão”, os presos levavam surras cotidianas de barras de ferro aplicadas pelos carcereiros e, a um dado momento, resolveram se organizar para sua defesa.
(Socialismo Revolucionário, 21 de agosto de 2006 -  http://www.sr-cio.org/texto/Nacional/entrevistapcc.htm) - Leia mais
 
[A Nova Democracia] - Nilo Batista - "Escalada Fascista    ...isso está se transformando num Estado policial fascista" - O Dr. Nilo Batista professor, titular de direito penal da Faculdade Nacional de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), é um dos mais eminentes criminologistas do Brasil. Foi também secretário de Estado de Justiça durante o governo de Leonel Brizola no Rio de Janeiro e é diretor do Instituto Carioca de Criminologia. Ele concedeu à AND uma entrevista a respeito do recente recrudescimento de ações armadas contra o povo, em São Paulo, que chegou a atingir o Paraná e Mato Grosso do Sul. Do seu escritório - no alto do bairro de Santa Teresa, com vista para a Baía de Guanabara -, Dr. Nilo falou sobre vários aspectos dos últimos acontecimentos, inclusive apontando as causas das dezenas de revoltas nos presídios.
(A Nova Democracia, Ano V, nº 30, julho de 2006 - http://www.anovademocracia.com.br/30/05.htm) -
Leia mais
 
[GTNM – Jornal do Grupo Tortura Nunca Mais/RJ/Pagina 12] - Vera Malaguti Batista - "Nas prisões de São Paulo se conjugam as condições de Guantánamo com as do Carandiru" - Sobre os últimos acontecimentos ocorridos no estado de São Paulo, onde centenas de pessoas foram mortas sob a acusação de serem traficantes ou de terem alguma vinculação com grupos criminosos, apresentamos entrevista concedida por Vera Malaguti ao jornal argentino Pagina 12 em 16 de maio deste ano, feita pelo jornalista Cristian Alarcon.
(GTNM Jornal do Grupo Tortura Nunca Mais/RJ, ano 21, nº 57 – junho/2006/ Pagina 12) -
Leia mais
 
[OVP-SP] - Elias Isac dos Santos - "Os desaparecidos de nossa democracia parlamentar" - A Equipe OVP-SP entrevistou, nos dias 3 de junho e 25 de agosto de 2005, o Sr. Elias Isac dos Santos, um pai que não se conformou com o desaparecimento de seu filho, seqüestrado,  torturado, morto e desaparecido em Guarulhos, em 19 de novembro de 2001, e saiu em busca do seu cadáver. Execuções sumárias, assassinatos e desaparecimento de cadáveres são hoje, muito mais numerosos do que no tempo da ditadura militar. Suas vítimas são os pobres do Brasil. (Equipe OVP-SP, 03/06/2005 e 25/08/2005) - Leia Mais
 
[Brasil de Fato] - Glayds Romeo Peccequillo, "FEBEM - Reabilitação pela pedagogia do medo"
Na Fundação do Bem Estar do Menor (FEBEM), a tortura é sistemática e tem como objetivo "domesticar o corpo, disciplinar". A afirmação é da ex-funcionária da instituição, Glayds Peccequillo, demitida após denunciar um espancamento numa das unidades da fundação, em 2000. (Entrevista da advogada Glayds Romeo Peccequillo ao  jornal Brasil de Fato, realizada por Tatiana Merlino, ed. nº 95, de 23 a 29 de dezembro de 2004) - Leia mais
 
[Rebelion] - Henri Alleg, "Los torturadores norteamericanos de Irak son alumnos de los franceses en Argelia" Rebelion entrevista a Henri Alleg, periodista político torturado en Argelia y autor del célebre libro "La question", por Néstor Kohan y Rémy Herrera. Desde 1950, Henri Alleg [Francia, 1921] trabaja como director del mítico periódico Alger Républicain, una de las principales voces de prensa que en Argelia apoyaban la lucha del pueblo por su independencia de Francia.(Rebelion 18/11/2004 -http://www.rebelion.org/ ) - Leia mais
 
[Folha de S. Paulo] - Guanaíra Rodrigues do Amaral, "Para psiquiatra, sociedade tolera a tortura" Entrevista da psiquiatra Guanaíra Rodrigues do Amaral ao jornal Folha de S.Paulo, realizada por Gilmar Penteado, em 8 de novembro de 2004) - Leia mais
 
[Agência Carta Maior] - Elzira Vilela, ESPECIAL 1964-2004 - "Estado ainda tortura como nos anos da ditadura militar" Em entrevista, a presidente do Grupo Tortura Nunca Mais de São Paulo, Elzira Vilela, diz que a tortura institucionalizada pelo regime militar continua acontecendo nas delegacias e prisões. O alvo agora é a população pobre e marginalizada. (Entrevista realizada por Bia Barbosa - Agencia Carta Maior http://agenciacartamaior.uol.com.br/ 02/04/2004) - Leia mais
 
[Caros Amigos] - Nilo Batista, “Todo crime é político”,
O empreendimento neoliberal destrói o Estado do Bem-Estar e o substitui por uma Estado penal. Os assuntos penais começam a ganhar status político porque o Estado, que está se lixando para a qualidade de vida das pessoas, para a saúde, a educação, Previdência, etc., esse Estado tem um grande e ambicioso projeto, que é o da criminalização das relações sociais, dos conflitos sociais. (
Trechos da entrevista
à Revista Caros Amigos nº 77, agosto de 2003) - Leia mais